Sábado, 5/ Dezembro/ 2020
Veja as ultimas Noticias
FALTA PAGAMENTO: Escola pode ter fornecimento de energia elétrica suspenso

FALTA PAGAMENTO: Escola pode ter fornecimento de energia elétrica suspenso

Escola Estadual Mariquita Costa pode ficar sem energia elétrica após 5 anos sem a conta de luz ser paga. Será?

É isso mesmo caros leitores. Por mais absurdo que pareça nossa reportagem apurou que a CELG tem uma conta de mais de 5 anos para receber da Escola Estadual Mariquita Costa, em Morrinhos.

As primeiras informações que chegam à nossa redação ainda são extraoficiais e dão conta de que o pagamento não é realizado desde dezembro de 2009, portanto, já são 5 anos e 7 meses sem pagar os talões de energia elétrica.

Agora, após privatização e novo modelo de gestão, a CELG que está se reorganizando em todo o estado deseja receber a conta, de milhares de reais.

Fomos informados extraoficialmente de que a CELG teria dado prazo para quitação ou negociação de débito até a próxima sexta-feira, dia 26 de junho, caso contrário o fornecimento poderá ser interrompido.

Nosso repórter está em busca da confirmação desta hipótese. Ainda não apuramos o valor exato da conta de quase 6 anos e nem de quem é a responsabilidade por tamanho atraso nos pagamentos.

Vamos tentar falar sobre o assunto com a direção da Escola e também com a nova subsecretária de educação, professora Cleide Mara, para saber se ela já tem conhecimento deste caso.

Cleide Mara assumiu o cargo a pouco mais de uma semana e, portanto, talvez nem tenha tomado conhecimento de todas as heranças que tem dentro da pasta.

Na semana passada nosso repórter esteve com a nova subsecretária em seu gabinete, para uma primeira visita após assumir o cargo, mas, ainda não tínhamos conhecimento deste fato.

Na oportunidade a professora Cleide explicou que está tomando pé de todas as situações, e se mostrou bastante entusiasmada com a nova função.

Educadora experiente, ela não deverá ter dificuldades para resolver este problema que caiu em seu colo, ao assumir a subsecretaria.

O Correio Sul Goiano vai buscar mais informações e torcer para que a situação se resolva da melhor forma, com muito bom senso, para que os alunos e educadores da unidade escolar não fiquem prejudicados. (Da redação, por Leonardo Costa)

MERCOTINTAS 03

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

%d bloggers like this: