Quarta-feira, 28/ Outubro/ 2020
Veja as ultimas Noticias
Polícia prende, em Uberlândia, primeiro suspeito de vender, em Morrinhos, gado subtraído no Mato Grosso

Polícia prende, em Uberlândia, primeiro suspeito de vender, em Morrinhos, gado subtraído no Mato Grosso

A Polícia Militar de Uberlândia, Minas Gerais informou ter prendido um dos homens suspeitos de aplicar golpes em criadores de gado do Mato Grosso e vender os animais em Goiás, inclusive Morrinhos.

casa-do-pao-de-queijo-01A tarde de sexta-feira, 09/12 estava começando quando a PM mineira prendeu Rodrigo Agostinho França, suspeito de cometer estelionato e aplicar golpes na cidade de Alta Floresta e outras daquela região, no Mato Grosso.

A principal suspeita que recai sobre ele é a compra de gado com cheques sem fundos. De acordo com informações do 32° Batalhão de Policia Militar e 9º RPM de Uberlândia-MG, Rodrigo foi preso em sua residência, no bairro Jardim Europa, pois havia contra ele mandados de prisão do estado de Minas Gerais e ao menos quatro do estado de Mato Grosso.

Segundo as investigações, Rodrigo se apresentava como “Marcos Paulo” e teria aplicado um golpe milionário no Mato Grosso. A Polícia Militar informou que no momento da prisão ele chegou a apresentar uma CNH falsa.

suspeito-03

Foto: Polícia Civil

Nesta semana a quadrilha a qual Rodrigo pertenceria começou a ser desbaratada, sendo que ao menos 292 cabeças de gado foram recuperadas aqui em Morrinhos, Goiás, nas operações que o Correio Sul Goiano já relatou, realizadas pela Polícia Civil do Estado de Mato Grosso, com apoio do Garra e Gerência de Combate ao Crime Organizado – GCCO, além da Polícia Civil de Morrinhos.

Os delegados afirmam que Rodrigo Agostinho França agia em conjunto com João Rosado Filho e Marcos Paulo Mariano da Silva, que ainda estão foragidos. O bando usava o argumento de que havia vendido uma fazenda em Santa Catarina e se por isso se mudaram para o Mato Grosso, onde compraram uma fazenda na cidade de Nova Monte Verde-MT.

A partir disso, vários golpes teriam sido aplicados por eles. As investigações da Polícia Civil revelam que a organização criminosa teria aplicado golpes em propriedades de várias cidades das regiões Norte, Sul e Leste do Mato Grosso, entre elas Nova Canaã do Norte, Colíder, Nova Bandeirantes, Apiacás, Primavera do Leste e Barra do Garças.

Veja também

JOÃO INÁCIO E COMPRADORES DE MORRINHOS FORAM VÍTIMAS NO CASO DE ROUBO DE GADO – DIZ ADVOGADO DO EMPRESÁRIO

Publicada na quinta-feira, dia 08 de dezembro de 2016 

gado-05Na quinta-feira, 08/12, policiais civis do Mato Grosso deram sequência a investigação de roubo de gado que teria acontecido naquele estado e depois teria sido vendido em Morrinhos. Os proprietários do gado deram queixa do crime.

Dezenas de cabeças de gado foram embarcadas em Morrinhos de volta para o Mato Grosso e ficarão acaulteladas até que as investigações sejam concluídas. O gado levado para o Mato Grosso foi apreendido na empresa do Sr. João Inácio, que é mais uma vítima desse grande imbróglio, segundo garantiu o seu advogado, Dr. Mário Menezes.

vejaO CONTRADITÓRIO E O DIREITO DE DEFESA

“João Inácio foi vítima nessa história toda”. Foi o que disse o advogado que o representa, Dr. Mário Menezes.

Segundo ele, o gado chegou à empresa de leilões do João Inácio de forma legal e correta, com todas as guias de transferência e transporte que foram validadas pelos órgãos competentes do Mato Grosso e Goiás, “portanto, poderia ter sido adquirido e vendido por qualquer um, como foi feito pelo João Inácio, que agiu de boa fé” – disse o Dr. Mário Menezes.

Ainda segundo ele, o que houve foi um negócio mal sucedido em Mato Grosso, quando este gado teria sido vendido de forma comum por seus donos a um homem que comprou as rezes e pediu prazo, pagando com cheques. Vamos chamar esse homem de Primeiro Comprador, pois não fomos informados do seu nome pelas autoridades policiais. A partir do momento que a venda foi feita, os proprietários teriam emitido as guias de transporte como sempre é feito – explicou o Dr. Mário Menezes.

omoEntão, de posse dessa guia e documentos que lhes davam a propriedade do gado, os representantes desse Primeiro Comprador vieram a Morrinhos e venderam o gado para a empresa do João Inácio, que comprou de boa fé, tendo em vista que seu trabalho é justamente esse, comprar e vender gado.

Dr. Mário Menezes informou que na semana seguinte à compra, o João Inácio começou a vender o gado para criadores de Morrinhos, como sempre faz. Tudo de forma correta e regular, com as guias necessárias.

Mas, segundo o Dr. Mário Menezes, ao findar o prazo da compra lá no Mato Grosso, os cheques passados pelo Primeiro Comprador não foram compensados, ou seja, não tinham fundos. Foi então que, segundo o advogado de João Inácio, os proprietários deram queixa à Polícia Civil de Mato Grosso.

gado-06Ao realizar investigações a Polícia Civil de Mato Grosso descobriu que o gado tinha sido vendido aqui em Morrinhos, para o João Inácio.

No final de novembro chegou um mandado de musca e apreensão do gado, que foi cumprido pelos policiais civis de Morrinhos, comandados pelo Delegado Fabiano Jacomelis.

Naquela oportunidade, segundo seu advogado, João Inácio ficou surpreso ao tomar conhecimento de que o gado estava sendo apreendido, pois até então ele acreditava que a compra e a venda haviam sido feitas de forma correta.

Os advogados de João Inácio entraram em contato com o Poder Judiciário lá no Mato Grosso, e o Juiz da cidade de Nova Monte Verde – MT nomeou o João Inácio como Fiel Depositário – ou seja, um colaborador da Justiça, pois ele ficaria responsável por guardar e cuidar do gado, até que as investigações terminassem e o caso fosse completamente esclarecido.

Mas, segundo o Dr. Mário Menezes, para surpresa de todos, nesta quarta-feira, 07/12, a Polícia Civil de Mato Grosso chegou a Morrinhos com mandado de prisão contra João Inácio, expedido pelo poder judiciário de outra cidade do Mato Grosso além de uma medida cautelar expedida na cidade de Nova Canaã – MT para que o gado que estava sendo cuidado pelo João Inácio, como fiel depositário, fosse transportado de volta para o Mato Grosso.

O advogado de João Inácio disse que este mal entendido está causando grande transtorno ao empresário morrinhense que agiu de boa fé e realizou um negócio legal, pois recebeu o gado com toda a documentação necessária.

Dr. Mário Menezes explicou que já tomou as providências necessárias para que João Inácio seja liberado da prisão e espera que a verdade dos fatos seja logo esclarecida para que não haja nenhuma dúvida de sua boa fé ao realizar este negócio.

O delegado Fabiano Jacomelis nos informou que o Primeiro Comprador, que passou os cheques sem fundo no Mato Grosso está sendo procurado pela Polícia Civil daquele estado, que teria mandado de prisão para ele. [Publicada na quinta-feira, dia 08 de dezembro de 2016]

Veja também

POLÍCIA CIVIL DO MATO GROSSO VEM A MORRINHOS PARA SEGUIR COM INVESTIGAÇÕES

Publicada na quinta-feira, dia 08 de dezembro de 2016

gado-05O fim da tarde e o início da noite de quarta-feira, 07 de dezembro, foram movimentados na Delegacia de Polícia Civil de Morrinhos. Um empresário morrinhense foi levado à delegacia para ser interrogado e prestar esclarecimentos.

Trata-se de João Inácio, que trabalha no ramo de leilões de gado. O motivo de sua condução à delegacia ainda não foi informado à imprensa.

Na tarde de quarta-feira, 07/12, ele foi conduzido por policiais civis do Mato Grosso até a delegacia de Polícia de Morrinhos onde foi ouvido pelos delegados de Morrinhos e do Mato Grosso. A polícia civil ainda não informou o teor e nem os motivos do interrogatório, o que deve ser divulgado na manhã de quinta-feira, 08 de dezembro.

INVESTIGAÇÕES

Policiais Civis do estado de Mato Grosso estiveram em Morrinhos para dar sequência às investigações sobre suposto furto e ou roubo de gado que teria acontecido naquele estado, e cujos animais foram localizados e recuperados em propriedades rurais de Morrinhos.

Até aqui as investigações revelaram que o gado foi subtraído no Mato Grosso e comercializado em Morrinhos.

No final do mês de novembro as equipes de policiais e agentes comandados pelo Delegado Fabiano Jacomelis haviam recuperado mais de 100 cabeças desse gado, que foi encontrado em propriedades rurais de Morrinhos.

Mais detalhes deste acontecimento serão divulgados na manhã de quinta-feira.

Veja também

GADO ROUBADO: POLÍCIA CIVIL RECUPERA, EM MORRINHOS, MAIS DE 100 CABEÇAS NELORE QUE FORAM ROUBADAS NO MATO GROSSO

Publicada na sexta-feira, dia 25 de novembro de 2016 – atualizada em 08/12/2016

gado-04

Fabiano Jacomelis, delegado titular de Polícia Civil em Morrinhos informou ao Correio Sul Goiano, que na sexta-feira, 25/11, concluiu investigação que terminou com a recuperação de mais de CEM cabeças de gado que teria sido roubado.

O delegado disse que as investigações aconteciam há quase um mês e que o gado teria sido roubado em uma fazenda no Estado do Mato Grosso.

Após três semanas colhendo dados os agentes finalmente conseguiram identificar e recuperar as mais de 100 cabeças da raça nelore que estão avaliadas em aproximadamente, Duzentos Mil Reais.

As rezes que supostamente foram roubadas em Mato Grosso foram vendidas para várias propriedades rurais de Morrinhos, sendo a maioria nas regiões Santa Rosa e Araras.

Na ação do dia 25 de novembro ninguém foi preso, pois de acordo com o delegado, NÃO ficou comprovado que os compradores morrinhenses agiram de má fé, e nem que eles sabiam que o gado era roubado. 

Após as investigações o Poder Judiciário emitiu mandado de busca e apreensão dos animais, que foi cumprido pelos agentes na sexta-feira, 25 de novembro.

Fonte e Fotos: Polícia Civil de Morrinhos – Delegado Fabiano Jacomelis

a-uniao

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

%d bloggers like this: