Sábado, 19/ Junho/ 2021
Veja as ultimas Noticias
EXUMAÇÃO: delegado que apura morte de Michelle após cirurgia plástica não descarta exumação

EXUMAÇÃO: delegado que apura morte de Michelle após cirurgia plástica não descarta exumação

Novamente a morte da morrinhense Michelle de Souza Pires, de 30 anos, volta a ganhar destaque na mídia estadual. É que na busca por justiça, a família tenta de todas as formas apurar as responsabilidades que envolveram o caso.

Matéria do site G1/GO revela que a Polícia Civil investiga o caso na tentativa de esclarecer o que realmente aconteceu para que Michele viesse a óbito.

61EXUMAÇÃO

Ao se deparar com tantas divergências nos depoimentos, o delegado responsável pelo caso, Dr. Manoel Borges de Oliveira admitiu que pode pedir a exumação do corpo de Michelle.

Segundo o G1/GO O delegado explicou que o procedimento poderá ser realizado para sanar dúvidas sobre questões levantadas pela família da vítima em relação às operações. A defesa do médico Dr. Pablo Rassi, responsável pelas intervenções, contesta as alegações dos familiares.

MÃE LEVA INFORMAÇÕES À POLÍCIA

O Dr. Manoel Borges de Oliveira informou que a mãe de Michelle, Cleide de Souza, disse a ele que a filha, além da lipoaspiração e da abdominoplastia, também fez um enxerto de gordura nos glúteos. Ela acredita que isso pode ter contribuído para a morte da filha. O delegado disse que o médico Dr. Pablo Rassi não citou a situação durante sua oitiva na delegacia.

aniversario-07-prontoDona Cleide de Souza voltou à delegacia de Polícia Civil na terça-feira, 03/01/17, quando depôs e entregou vídeos de Michelle com algumas lesões após ser operada. Cleide Souza também levou áudios nos quais Michelle se queixava de dores e diz que até “vomitou umas 20 vezes”.

Cleide Souza alega ainda que Michelle apresentou um quadro anêmico antes do procedimento e hemorragias no pós-operatório. A mãe reafirmou que diante da situação, já no pós operatório, a família tentou contato com o médico, mas as ligações não foram atendidas.

“Vamos formular estes quesitos para médicos peritos e questionar se essas questões trouxeram algum risco para a paciente. Também vamos intimar o médico para depor novamente”, disse o delegado Manoel Borges de Oliveira.

Reprodução TV Anhanguera

Reprodução TV Anhanguera

DEFESA DE MÉDICO CONTESTA

O G1/GO informou também que o advogado Carlos Rissi, que representa o médico Pablo Rassi, contestou as informações repassadas pela família de Michelle ao delegado. Ele afirmou que o enxerto nas nádegas já estava previsto e aprovado pela paciente.

“Foi feito uma lipoenxertia, que é a retirada de gordura do abdômen para colocar nas nádegas. Isso faz parte da lipoaspiração. Ele [Rassi] não negou que fez isso, inclusive, está descrito no prontuário entregue à polícia”, disse ao G1/GO.

Rissi afirmou ainda que, além de gordura, também é retirado uma quantidade de soro fisiológico, usado na cirurgia e que o volume total extraído está dentro do parâmetro médico.

63O advogado negou que o médico deixou de atender Michelle, pois alega não ter recebido nenhuma ligação. Salienta também que as informações repassadas pela família sobre o estado de saúde da paciente são improcedentes.

“Os exames apontaram que ela estava dentro do limite para o quadro de anemia para fazer a operação. Sobre a suposta hemorragia, houve uma cirurgia com cortes e, após a retirada dos curativos, vaza um pouco de sangue e secreção. Estamos muito tranquilos em relação a isso”, diz o advogado.

A certidão de óbito informa que Michelle foi vítima de um tromboembolismo pulmonar, que é um problema causado por um coágulo que se forma nas veias e entope a artéria do pulmão. O advogado de defesa do médico não considera necessária a exumação do corpo.

Veja também

JOVEM MULHER MORRINHENSE MORRE EM GOIÂNIA APÓS REALIZAR CIRURGIAS PLÁSTICAS

Publicada em 28 de novembro de 2016 – às 01h30

michele-capa-siteUm sonho, que terminou em tragédia. A expectativa de uma nova vida terminou em morte.

A morrinhense Michelle de Souza Pires, de 30 anos, tinha tanto desejo de fazer as cirurgias de Abdominoplastia e Lipoaspiração que celebrou com os amigos e familiares quando finalmente conseguiu realizar seu sonho.

Nas redes sociais ela contava os dias para realizar seu desejo e chegou a fazer contagem regressiva para a data tão aguardada.

Michelle contava os dias para fazer a cirurgia tão desejada

Michelle contava os dias para fazer a cirurgia tão desejada

Nesse dia Michelle estava ansiosa

Nesse dia Michelle estava ansiosa

Michelle contava os dias para fazer a cirurgia tão desejada

Michelle contava os dias para fazer a cirurgia tão desejada

Nesse dia, Michelle estava feliz, como sempre

Nesse dia, Michelle estava feliz, como sempre

Nesse dia, Michelle sentia-se Abençoada

Nesse dia, Michelle sentia-se Abençoada

A LUTA PELO SONHO

Michelle trabalhou, juntou dinheiro e se preparou para realizar um de seus maiores desejos. Infelizmente, o sonho não pode ser vivido.

Foto: rede social

Foto: rede social

A alegria que Michelle deveria irradiar para seus familiares e amigos ternou-se em uma tristeza amarga, e trouxe uma dor muito grande para todos, pois ceifou a vida de uma jovem mulher alegre, trabalhadora, sonhadora, cheia de projetos, e que deixou dois filhos pequenos, sendo um de 4, e outro de 10 anos de idade. É lamentável. A gente custa a acreditar.

Michele é filha do amigo “Bozó” conhecido cantor do Grupo Musical Estrela de Ouro, de Morrinhos. Segundo os familiares Michelle estava feliz em poder realizar a cirurgia, pois finalmente havia conseguido convencer a sua mãe de concordar com o procedimento.

No fim desta página clique em CURTIR para compartilhar esta informação 

a-cel-28-11-aNossa reportagem apurou que Michelle  foi operada no fim da tarde de sexta-feira, dia 25 de novembro; saiu da sala de cirurgia por volta das 8 da noite; recebeu alta às 13 horas do dia seguinte, sábado, 26/11; e morreu na madrugada de domingo, dia 27 de novembro, próximo das 5 da madrugada, ou seja, menos de 36 horas após deixar o centro cirúrgico do Hospital Buriti, em Goiânia, onde foi operada.

Michelle morreu na casa de sua ex-sogra, para onde foi, após receber alta médica no período pós cirúrgico. A ex-sogra, dona Maria Clara Pires e a irmã de Michelle tentaram socorrê-la quando ela passou mal, mas não conseguiram.

Lucas Silva, ex-cunhado de Michelle acha que pode ter havido negligência médica. Ele disse para a reportagem do portal G1/GO que: “nos exames que ela fez deu um pouco de anemia e o médico disse que não tinha problema”.

Imagem meramente ilustrativa Internet

Imagem meramente ilustrativa Internet

EM BUSCA DA BELEZA

Não são raros os casos em que as cirurgias estéticas, as chamadas cirurgias plásticas dão errado. Este é apenas mais um dos muitos casos registrados em Goiânia e ajuda a aumentar as estatísticas de morte no Brasil. Uma pena! Além das mortes, muitas casos registram que várias pessoas ficam com sequelas em procedimentos que as vezes não são bem sucedidos. Desde os anônimos, até pessoas famosas. São muitos os casos no Brasil e no mundo de procedimentos que não terminaram bem.

FAMÍLIA INCONFORMADA

Lucas Silva, ex-cunhado de Michelle acha que ela foi liberada muito cedo do hospital. Na opinião dele ela deveria ter ficado mais tempo na unidade hospitalar para ser assistida e acompanhada pela equipe médica.

Familiares contaram que Michelle começou a sentir-se mal durante a madrugada de domingo e disse que estava sentindo muita falta de ar e fadiga. A ex- sogra e a irmã dela tentaram socorrê-la.

Lucas Silva disse: “minha mãe e minha tia tentaram ligar para o médico, mas não conseguiram. Depois chamaram o SAMU, mas a Michelle já estava indo a óbito; minha mãe fez massagem cardíaca uns 15 minutos até o SAMU chegar. Os socorristas do SAMU tentaram reanimá-la, mas não conseguiram”.

DENÚNCIA

O acontecimento virou Caso de Polícia e foi registrado na Central de Flagrantes da Polícia Civil. De acordo com o boletim de ocorrência, a causa da morte está a esclarecer.

Foto: rede social

Foto: rede social

O Hospital Buriti informou, na tarde de domingo, que vai emitir uma nota sobre o caso no decorrer da semana, provavelmente na segunda-feira, mas já adiantou que o médico responsável pela cirurgia não faz parte do corpo clinico do hospital.

Em nota o Conselho Regional de Medicina de Goiás – CREMEGO – informou que “tomou conhecimento desta morte pela imprensa e vai apurar o caso”.

O Corpo de Michelle foi encaminhado ao Serviço de Verificação de Óbito – S.V.O de Goiânia, e só foi liberado no fim da tarde de domingo. O corpo foi trasladado para Morrinhos à noite e o velório só começou por volta das 22h30. Amigos e familiares prestam suas últimas homenagens à Michelle na sala do Velório João Júlio de Oliveira. O sepultamento acontecerá na segunda-feira, dia 28, em horário que ainda não foi informado.

Da redação, por Leonardo Costa, com informações de familiares e do G1/GO. Fotos retiradas das redes sociais. Colabore com nossa reportagem enviando informações e fotos. Nosso número é (64) 9 9294-9025, você pode colaborar conosco nos mandando fatos, fotos e vídeos.

a-panela

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

%d bloggers like this: