Segunda-feira, 20/ Setembro/ 2021
Veja as ultimas Noticias
Juíza ouve menor morrinhense e decide mantê-lo apreendido em clínica de internação por mais 45 dias

Juíza ouve menor morrinhense e decide mantê-lo apreendido em clínica de internação por mais 45 dias

A Polícia Federal continua investigando se o menor apreendido em Morrinhos é mesmo Ismail Abdul-Jabbar Al-Brazili – como teria sido batizado pelas células terroristas com as quais teria envolvimento.

Ele também pode ser “O Brasileiro”, como é chamado um suspeito, já investigado pela Agência Brasileira de Inteligência – ABIN – é exatamente isso que está sendo checado, se ele é esta pessoa, ou não!

ALGUNS EVENTOS

a) Em março ele foi abordado pela polícia, numa blitz de rotina entre Morrinhos e Caldas Novas, portando uma toca ninja, ou balaclava, vestindo duas calças jeans. Foi liberado, por não terem encontrado motivos para mantê-lo detido.

b) Dia 21 de julho, a Polícia Federal esteve na casa onde ele mora com a avó, em Morrinhos e apreendeu um computador e um tablet. A ação foi no início da manhã.

c) Dia 29 de julho, uma semana depois, a Polícia Federal voltou à casa onde ele estava morando, à Rua Major Evaristo Frauzino, próximo ao Posto de Saúde Central, que está sendo transformado em Clínica da Mulher pela Prefeitura. No início da tarde, ele foi apreendido.

d) Dia 29 de julho, durante a tarde, ele é interrogado pela delegada Sabrina Leles, que dá cumprimento ao mandado de apreensão e internação, expedido pelo Juizado da Infância e Juventude do Estado de Goiás, atendendo solicitação da Polícia Federal, núcleo que cuida da Operação Hashtag.

e) Dia 29 de julho, fim  da tarde, ele é conduzido à Goiânia, pelos agentes da Polícia Civil, que o conduzem à autoridade federal, que passa a ter responsabilidade sobre o menor morrinhense, que em seguida foi levado a um centro de internação, do qual o nome não foi revelado.

f) Dia 1º de agosto, a juíza Luciana Monteiro do Amaral, da Vara da Infância e Juventude de Caldas Novas, ouve o suspeito durante toda a tarde, e ao final, decide por mantê-lo ao menos por mais 45 dias no centro de internação que fica em Goiânia.

O depoimento é considerado sigiloso, e portanto, não foi informado à imprensa.

ENTENDA O CASO

Momento da apreensão em Morrinhos

Momento da apreensão em Morrinhos

As autoridades federais não fornecem detalhes do caso, mas investigam se o morrinhense é a pessoa por trás do nome Ismail Abdul-Jabbar Al-Brazili, considerado um membro importante das células terroristas no Brasil.

INVESTIGAÇÃO

Após levantamentos nos computadores apreendidos na casa da Rua Major Evaristo Frauzino, a Polícia Federal teria confirmado que o jovem morrinhense seria bastante atuante na internet e que seria responsável por cooptar novos seguidores.

Para tal, ele estaria fazendo a tradução de textos produzidos e divulgados pelo núcleo de mídia e publicidade do Estado Islâmico.

Ismail Abdul-Jabbar Al-Brazili seria o nome que o jovem morrinhense de 17 anos teria recebido do grupo jihadista, após fazer o juramento ao Estado Islâmico.

Autoridades tentam confirmar se ele realmente fez este juramente e se estaria pronto para assumir qualquer tipo de missão que lhe fosse dada pelo grupo extremista.

O morrinhense está sendo considerado uma pessoa extremamente inteligente pelas autoridades que falam com ele. Todos consideram que ele realmente poderia representar algum perigo, mas somente as investigações poderão confirmar ou descartar isso.

Nossa reportagem apurou que jovem detido em Morrinhos na verdade teria nascido em Caldas Novas, mas teria crescido nos Estados Unidos para onde seus pais se mudaram em busca de trabalho e uma vida melhor.

Há mais de dois anos autoridades norte-americanas teriam identificado conversas do rapaz, via internet, com pessoas ligadas aos grupos extremistas, e por isso acabaram chegando até ele, nos Estados Unidos. Foi então que constatando que a família morava naquele país de forma irregular.

Após ter sido detido por alguns meses o jovem foi liberado, mas por estarem de forma não legal nos Estados Unidos, toda a família foi deportada de volta ao Brasil.

De volta ao país de origem a família teria se mudado para Caldas Novas. O pai do jovem é reconhecido por ser um bom profissional na instalação de piso e revestimentos de porcelanato.

Há alguns meses o rapaz teria vindo morar em Morrinhos com a avó, numa casa simples à Rua Major Evaristo Frauzino.

Seus familiares contaram que ele é uma pessoa de pouco relacionamento com os parentes e que vive numa vida quase que de isolamento, sempre recluso dentro do quarto, não conversando com as pessoas.

Vizinhos confirmam este comportamento e acrescentam que o jovem até aparenta um estado de depressão ou tristeza, sem amigos e sendo uma pessoa calma e de pouco relacionamento com vizinhos. Mas, nas poucas vezes que conversa com os vizinhos ele é extremamente educado.

Os vizinhos ainda relatam que o rapaz é magro e relativamente alto, com cerca de aproximadamente 1,80 metro de altura – e que gosta muito de brincar com um gato de estimação que ele tem.

É preciso ressaltar que por enquanto tudo não passa de suspeitas dentro de um processo de investigação, e que as confirmações ou não do suposto envolvimento do rapaz com os extremistas só virá após conclusão desse processo investigativo, assim como a confirmação se ele é ou não o tal Ismail Abdul-Jabbar Al-Brazili, que é monitorado há algum tempo pelas autoridades brasileiras e internacionais via internet.

Da redação, por Leonardo Costa.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*

%d bloggers like this: